terça-feira, 16 de outubro de 2007

O nascimento da pintura

Geléia aprendeu o ofício de “fazer letras” por acaso com o artista plástico Galvão Preto, que fazia o Salão Carioca de Arte. “Ele veio aqui na Rocinha dar uma oficina de pinturas em tecidos para crianças e eu acompanhei, gostei do que vi. Um dia eu fui lá por curiosidade, a sala estava vazia e ele disse que a oficina não era para adultos, mas como não tinha ninguém naquele momento eu era bem vindo. Tenho a maior vontade de rever esse cara, porque ele foi o fio condutor de tudo que sou hoje.” Foi a partir de então que ele passou a trabalhar como pintor letrista, fazendo faixas e cartazes para diversos estabelecimentos comerciais da comunidade.

Um comentário:

priscila disse...

Ai Geléia, aqui é Pri, cunhada da Lú, seus trabalhos de pintura é bem diferenciado e chamam a atenção!! Tenha uma boa sorte e continue a alegrar e a colocar mais colorido no que está fosco em nosso país!! E sei que com o seu trabalho vc quer passar alguma mensagem.Um forte abç.